Algumas considerações iniciais

Tentarei manter uma regularidade nas postagens, mas não combinarei prazos. Por ser uma das válvulas de escapes utilizadas por mim, deixarei que este blog seja alimentado de acordo com a inspiração, e não com o calendário.

Gosto dos comentários. Não são, para mim, apenas um sinal de popularidade, como a maioria dos blogs que vejo. Eles têm um significado maior, que é o de saber como as pessoas que aqui estão pensam sobre os assuntos que comento. Portanto, fique à vontade para escrever. Na medida do possível, responderei a cada um deles.

domingo, 14 de agosto de 2011

OLHOS



Os olhos se cruzam com a certeza de já se terem vistos. O improvável toque daquelas duas linhas paralelas ocorreu. Lá está ele, lá está você. E agora? Tudo imaginado, tudo combinado, tudo esperado, e agora? O tempo passou, algumas coisas mudaram, mas o inevitável está acontecendo naquele exato momento e vocês ali parados, atônitos, aguardando uma atitude, uma deixa, um sinal que possa tornar real tudo aquilo que um dia pareceu tão distante.

Não precisa falar mais nada. Os olhos já dizem tudo. Ah, os olhos, sempre eles. Os responsáveis por tudo isso, aqueles que não precisaram fazer nada, apenas existirem, olharem para um ponto e ponto final. Arrebatadores, alimentaram um desejo, uma curiosidade, alteraram rotinas, geraram premonições, exercícios de futurologia barata combinada com sonhos inconscientes.

Que não se perca mais tempo! Que cada minuto seja esticado ao máximo, que os ponteiros se arrastem e que dois corpos se tornem apenas um. Que se eternize cada ato da cena. E que se apague todo tipo de culpa. E que, ainda, se libere todo tipo de desejo reprimido. E que assim seja, e é exatamente assim que vai ser.

Estar perto o bastante para me ver refletido em seus olhos. Quero ser o foco do seu olhar, sem desvio, sem intervenções. Quero começar a estar em você pelos seus olhos.

É isso. 

9 comentários:

Lili & Paty disse...

Lindo o texto: Poético, caliente, apaixonado, extasiente...
Parabéns!!

Vitão disse...

Oi Lili e/ou Paty!

Obrigado pelos elogios, estava achando este texto meio brega, meio clichê demais, mas ta aí... fico feliz que tenha gostado.

Viu que fiz uma propagando boa do seu blog né? Pessoal muito gente boa que a partir de agora vai ficar fã de vocês...

Lílian Rodrigues disse...

Quanta inspiração! Parabéns, lindo demais! Bjs

Vitão disse...

Olá Lílian,

Obrigado novamente por participar aqui. A inspiração por enquanto tem vindo do ócio que vivo atualmente.

Apareça sempre, você é muito bem vinda por aqui...

Anônimo disse...

Muito Bom mesmo o texto, expressa de forma clara que um olhar basta, as palavras podem ser soltas ao vento como penas que voam sem direção, mas o olhar é sempre inconfundível.

Vitão disse...

Oi Anônimo,

Valeu pela postagem. Bonitas as palavras usadas, quem sabe não servem de inspiração para um próximo texto, certo?

Volte sempre!

Érika da Matta disse...

Bem, todos os comentários foram feitos e traduziram bem o que eu senti ao ler o texto...falar sobre o olhar é sempre muito inspirador em uma época na qual muitos se olham, mas poucos se veem...
Palavras sempre tocantes!
Um beijo!

Vitão disse...

Oi Érika,

"muitos se olham, poucos se veem"...precisa dizer mais alguma coisa depois de uma citação desta?

Beijos, volte sempre!

Tay disse...

E, de repente, lembrei de tantos momentos em que meu olhar serviu muito mais que qualquer palavra. Ah, o olhar! Deu até arrepio!