Algumas considerações iniciais

Tentarei manter uma regularidade nas postagens, mas não combinarei prazos. Por ser uma das válvulas de escapes utilizadas por mim, deixarei que este blog seja alimentado de acordo com a inspiração, e não com o calendário.

Gosto dos comentários. Não são, para mim, apenas um sinal de popularidade, como a maioria dos blogs que vejo. Eles têm um significado maior, que é o de saber como as pessoas que aqui estão pensam sobre os assuntos que comento. Portanto, fique à vontade para escrever. Na medida do possível, responderei a cada um deles.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

CONJUGANDO




A percepção do tempo varia de acordo com o desejo e ambos são razões diretamente proporcionais. Por saudade, por ansiedade, o tic tac do relógio não soa igual para todos, os ponteiros não correm na mesma velocidade. Querer muito, desejar demais, atrasa, posterga, distorce o tempo em desfavor de quem o aguarda.

O tempo está ali, caro amigo, quer você queira, quer não. Querer antecipá-lo mudará algo no resultado final? E por que, então, todo este sofrimento, toda esta tensão? Faça bem feito o meio, que o fim virá da forma que se espera. E se não vier, paciência, mude a rota, o sonho, talvez aquilo não lhe preenchesse, não seria tudo o que esperava.

Tempo, tempo, tempo. Coisa estranha é o tal do tempo! Outro dia era apenas um menino, que distância havia do mundo adulto! Demorou tanto para crescer e agora vejo o quão rápido foi tudo. Cadê aquela vontade de brincar, cadê a despreocupação, onde estão as relações sem interesse, cadê todo mundo na rua para jogar golzinho, cadê, cadê?

Temos muito pouco tempo por aqui. Em alguns casos o jogo termina ainda antes do apito final. E a passagem para alguns é marcada por rancor, arrogância, indiferenças, tudo que prejudica não só quem sente, mas, principalmente, quem recebe.  Qual o sentido de se viver assim?  Por que buscar o conflito se as arestas podem ser aparadas? Por que não abrir mão de posições extremistas sabendo que é assim que se pacificam relações?

Relações duradouras, relações efêmeras, mas relações. Não fuja delas, no fundo são elas que sustentam nossa existência, que fazem com que as coisas por aqui adquiram algum sentido. Desfrute o tempo que tiver perto das pessoas que lhe fazem bem, que proporcionam boas sensações. Esse tempo corre igual como em todos os casos, mas cada minuto assim demora mais, se arrasta, quando vivido, e que depois será marcado na memória como tempo que passou veloz, mas tempo que será lembrado, tempo marcado no próprio tempo.

É isso.

12 comentários:

Lílian Rodrigues disse...

Nossa que palavras lindas! Tenho saudades de muita coisa q vivi. Não foram apagadas com o tempo, pois permanecem em minha memória, mas, infelizmente, não voltam mais. Como tudo tem seu lado positivo e negativo, o lado negativo são as marcas que nem sempre o tempo é capaz de apagar. Eu espero no tempo pra tudo, dou tempo ao tempo. Bjos Victor!!

Ana Paula disse...

Muito bonito seu texto Victor. Tenho pensado em escrever algo sobre o tempo mas não veio inspiração nenhuma, quem sabe relendo seu texto... Beijo

Vitão disse...

Oi Lílian,

Obrigado por aparecer novamente...continue dedicando um pouquinho do seu tempo para as visitas ao blog.

Beijos

Vitão disse...

Olá Ana,

Obrigado pelas palavras. Deixe sua imaginação voar ai, vá escrevendo, sem censura, sem backspace, que daqui a pouco teremos mais um excelente texto seu.

Beijo

Aloysio Henrique Ferreira Monay disse...

Boa reflexão, mas nos tornamos escravos do tempo por causa da modernidade, o nosso desejo de ter a posse de algo é que nos faz cegos para os momentos mais importantes de nossas vidas. Digo posse não somente sobre coisas, mas também sobre pessoas alimentamos nosso desejo de domínio sobre as pessoas e nos esquecemos que o mais importante já temos que é a companhia, o ombro amigo, amigo que é sempre nosso porto seguro no momentos difíceis da vida, se optamos pelo desejo da posse esquecemos assim o tempo e o momento alimentamos que temos que possuir 24 horas por dia, e quando percebemos a passagem desta medida ficamos apenas com a sensação de que tudo foi tão rápido, efêmero e de certa forma angustiante.

Vitão disse...

Olá Aloysio!

Realmente vivemos parte de nossas vidas dando valor a coisas que não deveriam receber este tipo de atenção, afinal de contas, o que fica, no final, é o sentimento que as pessoas tem e terão por nós.
Abraços!

Antônio Paulo disse...

O tempo é fardo que nos é infundido desde a concepção. As semanas são computadas uma a uma em contagem progressiva, e em um simples piscar de olhos, torna-se regressiva.
O tempo é assim…hoje somam-se milhares de dias e daqui há algum tempo, não sei quando e também não faz sentido algum saber, a relação se inverterá, restarão apenas alguns dias e peso da consciência

Vitão disse...

Grande Paulo!

Realmente a gente precisa se atentar a isso. Passamos a vida correndo contra o tempo, torcendo para o tempo correr para que possamos ver o resultado de nossos projetos mas, ao final da vida, esperamos que o tempo se arraste, nos dando uma sobrevida. É importante repensar este tipo de coisa, ver até que ponto o sacrifício de coisas realmente importantes é válido.

Abraços.

Cecilia disse...

Ola Amigo,
Não devemos observar o tempo , mas viver no tempo cada momento, pois ele não para, o relógio continua com seus ponteiro circulando,os dias passam, são velozes, portanto é necessário vivermos, aproveitarmos as oportunidades presente, sem querer ultrapassar o tempo.Mas viver,não se perder nele, com situações inúteis, mas sim com acontecimentos que venham ser lembrados como proveitoso na vida…
Abraços

Vitão disse...

Olá Cecilia,

Está certíssima. Nossa vida é construída a partir de soma destes pequenos momentos. Deixar de fazer uma coisa que agrada é deixar em branco uma página que não poderá ser mais escrita, não mais daquele jeito, daquela maneira.

O importante é buscar a felicidade a cada dia, não postergando, depositando a esperança somente em um futuro que nunca vem.

Obrigado por ler e comentar, volte sempre por aqui!

Abraços!!!

Guilherme Freitas disse...

Victor, muito bom este artigo. O tempo passa e ele é precioso. Precisamos aproveitar cada segundo, viver a vida plenamente. Abraços.

Vitão disse...

Oi Guilherme,

Precisamos mesmo aproveitar, mas estava vendo uma palestra do Mário Sergio Cortella, ele tem razão quando fala que também não precisamos querer fazer tudo hoje, agora. Queremos ganhar tempo, mas onde usamos este tempo ganho? Legal pensar nisso também.

Abraços