Algumas considerações iniciais

Tentarei manter uma regularidade nas postagens, mas não combinarei prazos. Por ser uma das válvulas de escapes utilizadas por mim, deixarei que este blog seja alimentado de acordo com a inspiração, e não com o calendário.

Gosto dos comentários. Não são, para mim, apenas um sinal de popularidade, como a maioria dos blogs que vejo. Eles têm um significado maior, que é o de saber como as pessoas que aqui estão pensam sobre os assuntos que comento. Portanto, fique à vontade para escrever. Na medida do possível, responderei a cada um deles.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

MÁSCARAS

Resultado de imagem para mascara caindo


Que máscaras há?
Que fase há de voltar?
Se o que quero é aqui
Se você é para lá

Onde foi que fingi?
Qual foi a mentira?
Nunca teve ilusão
Na brincadeira do põe e tira

Bateu na defesa, é escanteio
Então para que é feio
Cada um em sua base
Cada qual tem sua fase


Marília Mendonça - Eu Sei De Cor

terça-feira, 13 de setembro de 2016

EMPUTECIDO

Resultado de imagem para bufando


Tô puto
Quem nunca?
Motivo sei lá, vontade de gritar
Raiva de quem? Do quê? Precisa saber?
Só quero estar puto. Ponto.
Quero fechar a cara, sentir o mau humor
Afastar de perto quem quer que seja
Amanhã passa, sempre passa
Mas agora só quero ficar puto
E olha que não é um puto absoluto
Daqueles que quebram tudo, que chutam Pluto
Respira, inspira, que passa
Raiva que arde mais do que cachaça
Mas passa, sempre passa
Até chegada a hora de novo emputecimento
De bruto como cimento
De puto, somente puto


Ana Carolina, Seu Jorge - Chatterton

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

MAREJADOS

Resultado de imagem para olhos CHORANDO


Olhos marejados, externei
Não é comum, eu sei, mas externei
O bom senso atropela a vontade
Freando qualquer possiblidade
Limitando, delimitando, escondendo

Cada uma que desce emudece
A voz da liberdade, o som do fazer
Limpam a face suja de rancor
A vergonha expressa em nenhum rubor
Libertinagem em forma de lazer

A maré subiu e cobriu
Qualquer gracinha, qualquer embate
Mar balançou e enjoei
De tudo que pensei que sei
De tudo que vivi forçado
De tudo que não foi alçado
De tanto que evitei combate


Chão de Giz  - Zé Ramalho & Orquestra Sinfônica da Paraíba


sexta-feira, 2 de setembro de 2016

JOGO DE PALAVRAS

Resultado de imagem para PALAVRAS SAINDO DA BOCA

Palavras jogadas sem contexto
Tracejadas como balas em conflito
Nada além de um ficar aflito
Mesmo impacto de qualquer texto

Palavras jogadas sem razão
Amparadas numa falsa emoção
Numa vontade de colocar a culpa
Num esforço de achar desculpa

Não force, entenda
Que a vida não é sob encomenda
E buscar alguma ofensa
Não fará a mínima diferença


Cassia eller - palavras ao vento


quinta-feira, 25 de agosto de 2016

INCLINADO

Resultado de imagem

Na rampa a decadência
Enquanto sobe, consciência
Sacrifico a minha vida
Minimizo a indecência
Se antes o todo, no poder
Agora a quem vou recorrer?
Se antes me solidarizo
Agora só eu agonizo
Por onde estão, grandes amigos?
Ajudei tanto com inimigos
Por ora sei que vai doer
Mas sei a quem vou chamar
Buscar em mim a redenção
Com ares de ostentação
Com vários toques de crueldade
Lembrar de tudo, sagacidade
Enquanto dormem vou maquinando
Enquanto esquecem vou me lembrando
E vai doer, pode apostar
E o mal de mim hei de afastar
Com a certeza da impunidade
E com requintes de maldade
Vou ver sangrar, desfalecer
E é assim que há de ser
Mexeu com o tal cara errado
Que sabe ser dissimulado
Que sabe amar, bater, sofrer
E está em mim, nele e em você


sexta-feira, 19 de agosto de 2016

NUM BANCO




Foi num banco de um lugar qualquer
Que sentou, que entrou, que sentiu
Que mexeu, remexeu, explodiu
Me apertou, te apertei, pressionando
E não esqueço, ficou marcado
Cada posição, cada rebolado
Cada lá dentro que senti melado
Agora se vista, já vamos
Ainda invista, tentamos
Um dia qualquer grudamos
Repetindo é que lembramos


Jane Birkin et Serge Gainsbourg - Je T'aime,...Moi Non Plus






sexta-feira, 12 de agosto de 2016

DE ROCHA



É que era sério, de verdade, de rocha
Na despedida é que senti
A sua falta, a sua dor, o nosso amor
Apenas ali, na hora de ir
Quando não era mais viável
Quando sabíamos que não seríamos mais
Quando o coração resolveu falar
Ali veio tudo, amor, saudade, arrependimento
A certeza de que foi momento
Junto à dúvida de prosseguir
Sem saber qual caminho seguir
Sem distinguir o tchau do adeus
Sem me incluir junto aos seus
Sem dar a chance de decidir
Enfim, andou
Últimos segundos no visual
Primeiras lágrimas de algumas outras
E a certeza de que marcou


Lucas Lucco - Batom Vermelho

sábado, 6 de agosto de 2016

PENETRANTE



O olhar penetra, a alma invade
E não há nada que contenha a insaciedade
Sugeriram cercear a liberdade
Mas isso se burla sem alarde

É uma vontade que vem de dentro
Uma coisa de não me aguento
Um tal de não pode parar
Um infinito não sossegar

Prossiga, avante!
Que agora não se freia
É intenso, é instante
Direção que não norteia


Maiara & Maraisa - Medo Bobo

quinta-feira, 28 de julho de 2016

BREVIDADE


Sejamos breve
Não há nada de mal no se entregue
É possível fugir do normal
Sabendo que isso é nada banal

Pronto, falei
Que você quer eu sei
Que inesquecível será
Que bora logo, que é pra já

Não durma, agorinha vem mais
Respire, que vou chegar
Nem tudo é tão demais
Nem nada é de deixar


Naiara Azevedo - 50 Reais Part. Maiara e Maraisa

quinta-feira, 21 de julho de 2016

POR POUCO



Foi por hoje aquele segundo
Que talvez não teremos mais
Por poucos segundos de olhos
Por pouco tempo atrás

Foi por hoje, alguns metros
Em troca da troca de olhares
Distanciamos, nada de pares
Olhos substituídos por concretos

Você permaneceu, eu fiquei
Com a sensação de não mais sei
Você esteve, eu já nem
Mas confesso que gostei

Foi tão quase, que nome tem?
Fale comigo, me chame, me ame
Pense bem em como vamos agir
Que sua arma é sorrir, me engane

Enfim, prazer
Que deixar de conhecer
É carregar a dor no peito, aceito
É ônus de ser desse jeito


Shakira - Inevitable


quinta-feira, 14 de julho de 2016

EM BRANCO



Acordei com a tela em branco
Nenhum movimento, nenhuma palavra
É incomum, desconcertante
Mas importante silêncio de reflexão
É ruim ser mal acostumado
Pensando ter um falso domínio
Se elas que mandam, comandam
Chegam e saem a bel prazer

Pronto tela, jaz branca em seu reino de imposição
Que elas vieram a todo vapor
E isso é digno de todo louvor
Ainda que o conteúdo não tenha razão
Se vá, tela, por ora não volte
Vai que o poeta se revolte
E te cubra com versos vindos do coração


Avine Vinny - Tô limpando você da minha vida

segunda-feira, 4 de julho de 2016

AO SEU LADO



Ser bom ao seu lado
Não quer dizer que não esteja errado
Estar bom ao seu lado
Importa dizer, há outras faces no quadrado

A parte boa sobressai
O felizes para sempre acontece
A verdade se esvai
A realidade aparece

É duro admitir
Mas entenda, faz parte
Passar o tempo de mentir
É a vida imitando arte


Lorde - Royals 



terça-feira, 28 de junho de 2016

MAROCAR



De costas pra mim
Fingindo não ver
Por dentro se morde
Tentando entender

Que o tempo retorne
Pra gente sanar
Ou passe ligeiro
Para reencontrar

Pode marocar
Pode aguardar
Que o tanto que vale a pena
É difícil mensurar


A Serpente - Zeca Baleiro


terça-feira, 21 de junho de 2016

DELAÇÕES



Alguém ouviu seus relatos
Dizendo frases sem razão
Destoando todos os fatos
Transformando nada em sermão

Tudo posto, delate
Mas não espere premiada
Porque você será a piada
E nada haverá de embate

Não haverá perdão da pena
Nesse esboço de delação
Pode balançar a relação
Tornando-a a bizarra da cena

Parabéns, está lá
O seu prêmio de mãos vazias
Que gera no máximo poesias
Que quer te ver longe de onde ele vá



Marília Mendonça - Infiel





sábado, 11 de junho de 2016

ALIJADO




Seccionado dos processos
Vira e mexe retrocessos
Alijado das decisões
Enjoado dos nãos

É assim que funciona
Ou goste ou aceite
Que a vida é de meu deleite
Que aqui você não direciona

Mas será? Talvez não
Querer ser dono da razão
É abrir portas para possibilidades
De conhecer outras realidades
E de dar um basta na situação

Ou se segue num fingimento
Para testar até onde aguento
E pode apostar que não é demais
Em virtude de um tanto faz
Dar um basta nesse lamento

Entendo que alguém vai sofrer
Mas não há muito o que fazer
É tentar marcar presença
Mostrar a diferença
Apesar da ausência doer


João Neto e Frederico - Vício part. Jads e Jadson

quinta-feira, 9 de junho de 2016

FAZ TEMPO



Fazia tempo que não via nada
Levando uma vida sossegada
Algo conspirou para te ver
Qualquer coisa que goste de me ver sofrer

Engula, aceite, entenda
É o que diz a voz oculta
Discordo, se foda, se renda
Infantilidade na fase adulta

E segue a vida sem dó
Sei lá, ame
Nem eu, nem si, dane
Num escuro sem um sol


Engenheiros Do Hawaii - Numeros

sexta-feira, 3 de junho de 2016

VEM



Começa com um texto em branco
Às vezes sai de solavanco
Que nem a vontade de ir
O desejo de te sentir

As palavras vão aparecendo,
O desejo então crescendo
O intuito de fugir
A vontade de imergir
Em tudo que vai aparecendo

That’s ok, talvez não
No doce veneno do escorpião
É impossível ter razão
É inviável viver em vão

Assim sendo, aguarde
Que é assim, sem alarde
Sendo assim, prepara
Que quando der, embala


Soweto - Não foi à toa

quarta-feira, 25 de maio de 2016

NAQUELA



Foi naquela noite, naquele dia
Sem saber exatamente o que fazia
Mencionou qualquer bobeira com receio
E de repente recebeu de volta um “bom que veio”

E assim, ao som da rainha,
Viram que a coisa fluía
Viram a tal mutualidade
Cravaram o sim na possibilidade

Mas hey, take it easy
Que o processo não é assim
Que se demore para chegar no fim
Que se desfrute todas as fases
Que se espere o meu sinal
Para, enfim, partir para o golpe final



Killer Queen - Queen + Adam Lambert 


quarta-feira, 18 de maio de 2016

ZUMBI



Caminhando sem saber qual rumo
Buscando luz em um mundo escuro
Sabendo que o resultado pode ser a solidão
Entendo os motivos de usar não

Passado ganhou ponto final
Presente alterado, dentro do normal
Pro futuro agora tanto faz
Nem se sabe quando se respira mais

É deixar de ser zumbi
Viver de morte, nas sombras, afastado
É querer fazer sorrir
Alegria em demasiado estado

E assim o ponteiro vai girando
Ora sozinho, ora nem tanto
Ora concreto, ora amianto
Decisão de livre canto


The Cranberries - Zombie

sábado, 14 de maio de 2016

NESSE MEIO



Nesse meio tempo já foi um ano
Tiraria de letra, ledo engano
Nesse meio tempo que de fato voou
O que me conforta é que com você estou

Acabou papá? Vai ter chorinho!
Chegou de pijama? Vai ter chorinho!
Terminou de mamar? Vai ter chorinho!
Mas isso é manha, papaizinho
Não quero mais lhe ver sozinho

De passo a passo eu sigo seus passos
Galinha é boa, Peppa também
É tão gostoso o seu abraço
É tanto amor que é muito além



A dança do patinho - Galinha Pintadinha

terça-feira, 10 de maio de 2016

INSÔNIA




Eu busco o sono, mas ele não vem
Embora cansado, pensamento além
E cerro os olhos, tentando não ver
Por mais que não queira, só vejo você

Na hora acontece, vontade que há
Esqueça os furos, já deixei pra lá
No fim da picada, chegamos aqui
E tudo foi culpa do leve sorrir

Devagar, encaixo
Por cima, de lado, por baixo
Com força, de leve, total
Início sem saber final


Renato Russo - La solitudine

quinta-feira, 28 de abril de 2016

ARTIFÍCIO



Sinto saudades de você
Daquele tempo bom, daquele chamego
E se hoje estou à mercê
É porque tentei o desapego

Já vimos que não deu certo
Entendo que o tempo passou
Não entendo bem o correto
Não aceito o jeito que estou

É que quando se quer alguém
Não tem esforço, não existe sacrifício
Pensemos em um artifício
E você volta a ser meu bem


Zeca Baleiro - Meu amor meu bem me ame


quinta-feira, 14 de abril de 2016

VOLÚVEL



É que talvez você não entenda
Na surdina é que rola
E embora surpreenda
Vira e mexe a gente embola

Faço o quê, coração volúvel
Que me manda, direciona
Vira e mexe se apaixona
Cria clima não solúvel

E sigamos, se entoca
Que em breve tem que ter
Na rua, no carro, na toca
No silêncio sem saber


Zé Neto e Cristiano - Seu Polícia 

quinta-feira, 7 de abril de 2016

INSISTÊNCIA



Parei de pensar em você
Na verdade penso menos
Talvez apenas quando respiro
E em ti me inspiro
Nessas linhas que juntos escrevemos

Vivemos em fases, como a lua
Ora cheios, ora minguantes
Ora virtual, ora você nua
Desse jeito é amor flutuante

É provável ser para sempre
É comum ser indiferente
Não que isso signifique ausência
Não que espere sua insistência
E embora não transpareça
Incomoda a baixa frequência 


Quando o mel é bom - Simone e Simaria


sexta-feira, 1 de abril de 2016

START



Não me espanta sua lucidez
Estou ciente do olhar, do intento
Já sinto aquela acidez
Vontade longe de convento

Teve troca, e vontades
Teve olhos, olhares
Um breve oi, quem sabe?
Um longo vem, start

Se me teve não teve você
Embora discorde, estou à mercê
Enquanto me calo, desanda a falar
Ainda que cesso, não posso parar


Luan Santana - Cantada