Algumas considerações iniciais

Tentarei manter uma regularidade nas postagens, mas não combinarei prazos. Por ser uma das válvulas de escapes utilizadas por mim, deixarei que este blog seja alimentado de acordo com a inspiração, e não com o calendário.

Gosto dos comentários. Não são, para mim, apenas um sinal de popularidade, como a maioria dos blogs que vejo. Eles têm um significado maior, que é o de saber como as pessoas que aqui estão pensam sobre os assuntos que comento. Portanto, fique à vontade para escrever. Na medida do possível, responderei a cada um deles.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

DISSIMULADO




Finjo que tudo vai bem
Enquanto tento enquadrar
Coisas fora do lugar
Coisas que nem sempre vêm
Coisas de machucar

Busco o que já não foi
Se é que não sou
O que passou, o que viveu
O o que sinto ou que estou
Ou que sinto, o que doeu

A história será relato
De todo tudo, de todo ato
Que o que é, quiçá ingrato
Ou, quem vê, prazer barato
Martelo bate, fato. 




6 comentários:

Anônimo disse...

Tenso e intenso...muito bom Vitão.
I.Vieira

Vitão disse...

Valeu Vieira...brigadão pela visita e pelo comentário. Volte sempre!

Anônimo disse...

Seus poemas são pelos, tem também fortes veias filosóficas .
M.Nunes

Vitão disse...

Olá M. Nunes!

O que quer dizer quando diz que meus poemas são pelos? Não compreendi..

Valeu pela visita novamente, seja sempre muito bem vindo!

Anônimo disse...

Ops!foi um erro de escrita,quis dizer que seus poemas são belos.
Nunes

Vitão disse...

Ah tá, agora sim!!!