Algumas considerações iniciais

Tentarei manter uma regularidade nas postagens, mas não combinarei prazos. Por ser uma das válvulas de escapes utilizadas por mim, deixarei que este blog seja alimentado de acordo com a inspiração, e não com o calendário.

Gosto dos comentários. Não são, para mim, apenas um sinal de popularidade, como a maioria dos blogs que vejo. Eles têm um significado maior, que é o de saber como as pessoas que aqui estão pensam sobre os assuntos que comento. Portanto, fique à vontade para escrever. Na medida do possível, responderei a cada um deles.

sábado, 14 de janeiro de 2012

RETROVISOR



Olho para trás e vejo coisas boas. Simultaneamente, vejo as ruins da mesma forma. Vejo o que engrandeceu, vejo o que diminuiu. O que fez feliz, o que deixou triste. Não vejo, ou melhor, não enxergo muitas coisas. Coisas que não quero enxergar, coisas que minha memória fez questão de deixar em um canto muito bem guardado. Por alguma razão o mesmo mecanismo é usado também para momentos agradáveis, que ficaram esquecidos juntamente com as pessoas que estiveram presentes nestes momentos comigo. Talvez não se consiga distanciar o bom momento daquela pessoa em questão, por isso a supressão do conjunto na lembrança.

Temos e somos, em nossa essência, o conjunto de pequenos fatos. A construção é finita apenas com a morte, e se faz até o último minuto de consciência. Relevar passagens é negar a própria existência, o próprio ser. Estar ciente de que tudo o que aconteceu fez você ser exatamente o que é hoje é importante, é fundamental para que entendamos o que se passa em nossas vidas, por quais motivos determinadas coisas acontecem, qual o sentido de estarmos próximos a certos tipos de pessoas.

Assim como em veículos, dirija sua vida olhando para frente, mas, vez em quando, consulte o retrovisor. Busque suas passagens, seus momentos, suas opiniões, procure se entender. Não viva em função de seu passado, mas não o ignore por completo. Muitas respostas para seus questionamentos podem estar lá, escondidas, naquele dia aparentemente normal, em que uma atitude, ou a falta dela, mudou todo um contexto em suas relações, em seu comportamento.

É isso. 

2 comentários:

Tiburciana disse...

Cada um desses bons ou mals momentos contribuirão um pouco ou muito para nossa formação
bjos

Vitão disse...

Olá Tibi,

É bem por aí mesmo... cada coisa que acontece conosco tem seu lado bom e ruim... é preciso filtrar, ver o que vai fazer bem manter em nossa memória.

Beijos, valeu por vir aqui..