Algumas considerações iniciais

Tentarei manter uma regularidade nas postagens, mas não combinarei prazos. Por ser uma das válvulas de escapes utilizadas por mim, deixarei que este blog seja alimentado de acordo com a inspiração, e não com o calendário.

Gosto dos comentários. Não são, para mim, apenas um sinal de popularidade, como a maioria dos blogs que vejo. Eles têm um significado maior, que é o de saber como as pessoas que aqui estão pensam sobre os assuntos que comento. Portanto, fique à vontade para escrever. Na medida do possível, responderei a cada um deles.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Tem coragem para isso?

Ao pensarmos na coragem para agir, logo nos vem em mente a ideia de bravura, de força e determinação unidas para alcançar aquilo que se pretende. Coragem significa um algo a mais, aquela última energia gasta com afinco. A coragem já foi e talvez ainda seja uma arma de sedução. Nos primórdios, os machos mais corajosos, que enfrentavam grandes caçadas, suportavam extremas variações de temperaturas, conseguiam as melhores mulheres, tinham mais privilégios em suas comunidades.

Por outro lado, coragem também pode significar ousadia. Sem a ousadia, a vida segue num marasmo, em uma apatia sem tamanho. Se hoje temos tecnologias que facilitam nossas vidas, é porque alguém ousou, buscou algo desconhecido com a pretensão de atender a uma determinada demanda, tentou resolver um problema, simplificar uma tarefa. Ousadia é oposto à preguiça, comodismo. Estar em uma zona de conforto pode ser bom, mas as coisas podem melhorar ainda mais se dermos um passo além dessa zona, para buscar um desconhecido que torne nossas vidas ainda melhores.

São poucas as pessoas que têm essa ousadia, essa coragem de ir além. Muitas preferem ficar onde estão, ainda que total ou parcialmente insatisfeitas com a situação, mas jamais ousam mudar, ousam pensar além daquilo que vivem atualmente, onde pode existir muito mais, existir um caminho que a satisfaça, que engrandeça.

Viver sem ousar é viver em preto em branco, é passar nesse mundo sem nenhuma cor, é ser manipulado por uma maioria que pensa da mesma forma, manipulado por um sistema que conforta para não estimular a ousadia. Ousar sempre tem um preço que, manifestado em sua menor forma, aparece na máscara da desconfiança alheia. De todo modo, é um preço que vale a pena ser pago, é um risco que se deve correr, para não passarmos por essa vida apenas por passar, para não ocuparmos apenas um espaço, mas sim o espaço, o nosso lugar.

Outro ponto passível de alguma reflexão é que, ao ficarmos inertes diante de uma situação que já está além da monotonia, estamos também impedindo outra pessoa de procurar um caminho melhor. Iludir alguém é diferente de manter a pessoa em um estado de pseudo-satisfação. Deixá-la nesse estado não ajuda, não faz bem. São meses e até mesmo anos de experiências que em nada engrandecem. É preciso, nesse caso, reconhecer que ao lado da pessoa contribuímos menos para sua melhoria do que se a deixássemos livre, buscando novas sensações. Estar por estar não é e nunca será o melhor caminho a ser seguido, visto que as repercussões negativas atingem os dois lados envolvidos na relação.

Portanto, caro amigo, pense sim no que está vivendo atualmente. Pense, mas não deixe de agir. A análise de alternativas é sempre viável, mas não se deixe levar por pena ou mesmo receio de ficar só. Pense que a decepção não faz apenas mal. Ela tem o poder de nos tornar mais fortes, de suportar outras crises e, assim, sair melhor delas. Observe os sinais a sua volta, veja que a vida proporciona oportunidades para vivermos momentos inusitados, experiências únicas, fatos que marcarão para sempre em nossas mentes. O momento pode ser esse, a virada pode acontecer agora. Não hesite, apenas ouse, aja!

É isso.
______________________________________________
Termino o texto com uma magnífica citação de Fernando Pessoa, divulgada ultimamente por Cleo Pires, em seu ensaio para a Playboy:

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."

5 comentários:

Mulher na Polícia disse...

Já sei...

Deixou mais uma com o coração partido, né?
tsic, tsic, tsic...

"Homens..."

Beijo!

Vitão disse...

Olá Novinha!

Coitado de mim, to com essa bola toda não...

Alguns textos são somente observações de "amigos", certo? Não sao, necessariamente, coisas vividas por mim..

Beijos

Anônimo disse...

Olá Victor,

Agradeço o comentário que você fez no meu blog (CertaMente). Estou muito indisciplinada com a periodicidade do blog por conta do fim desse semestre estressante. Os textos mais antigos então mais trabalhados.

Li um pouco do seu e gostei bastante, você é uma rara materialização da sensibilidade humana masculina (risos). Viagem minha...

Mas continue sempre melhorando e observando o que passa desapercebido aos olhos dos que duvidam das perplexidades da vida.

Abraços
Flaví

Magui disse...

Para isso é preciso coragem e não se importar com a opinião alheia.Caso contrário será sempre um manipulado no meio da massa.

Bel Ribeiro * disse...

Adorei seu blog, parabéns, estou seguindo. :)