Algumas considerações iniciais

Tentarei manter uma regularidade nas postagens, mas não combinarei prazos. Por ser uma das válvulas de escapes utilizadas por mim, deixarei que este blog seja alimentado de acordo com a inspiração, e não com o calendário.

Gosto dos comentários. Não são, para mim, apenas um sinal de popularidade, como a maioria dos blogs que vejo. Eles têm um significado maior, que é o de saber como as pessoas que aqui estão pensam sobre os assuntos que comento. Portanto, fique à vontade para escrever. Na medida do possível, responderei a cada um deles.

quinta-feira, 1 de maio de 2008

A mentira acalentando a alma

A capacidade de pensar é o que mais difere o ser humano dos outros animais. Penso, logo existo, diria Descartes. Penso, minto, logo existo, eu completaria. A mentira é um subproduto do pensar e está encravada na consciência humana. Somos educados e crescemos ouvindo e praticando mentiras diariamente. E talvez não houvesse possibilidade do convívio entre as pessoas se não existisse a mentira para amenizar algumas situações.

O cachorro, por exemplo. Ele jamais mente. Se gostar de uma pessoa, abana o rabo, fica perto, chama para brincar. Quando não gosta, late, rosna, morde. Ele não finge ser uma coisa que não é. Apenas demonstra, sem hesitar, o que está sentindo naquele momento. Com os outros animais também funciona assim, em menor ou maior sinal de demonstração.

Já nós, os evoluídos seres humanos, necessitamos da mentira. Por vezes ela serve como um conforto às inquietações. Por outras, para mascarar falsas felicidades, que aumentam ainda mais o ciclo da mentira em nossas vidas. Muitas pessoas fazem de suas vidas uma grande encenação, atuando de forma a convencer que sempre vivem maravilhosamente bem. São pessoas que usam a mentira em sua forma mais cruel, que é a de mentir a si mesmo.

Em diversas situações a “auto-mentira” se faz presente. São pais que sabem que suas filhas vão para as casas dos namorados, mas que fingem para si que elas estão com as amigas. São pessoas que fingem estudar enquanto estão com a cabeça em outro lugar, somente para dar uma satisfação de que fazem alguma coisa. Outras que fingem um altruísmo coletivo enquanto o egoísmo as corroem.

Homens e mulheres usam a mentira cada qual a sua maneira. As mulheres mentem mais nas amizades, tecendo elogios falsos umas às outras, sugerindo coisas que não gostariam para elas próprias. Homens mentem em relação ao trabalho, têm vergonha quando não estão no mesmo status que os amigos. Além disso, usam um bocado da mentira nos relacionamentos, que talvez não durassem uma semana se elas não fossem mesmo usadas.

É preciso saber dosar. Não há como ser verdadeiro todo o tempo, sob o risco de magoar pessoas queridas. Pense como seria ruim se uma amiga lhe perguntasse se está gorda? Por mais que você pense que sim, jamais pode falar isso na lata. A mentira pode e deve ser usada em algumas ocasiões, mas sempre de um modo moderado. Mentir ou omitir uma informação pode trazer a paz ou levar ao inferno. Mais importante do que mentir ou não, é saber até que ponto esta atitude interfere na esfera pessoal do outro e quais seriam as conseqüências reais caso tudo viesse à tona.

É isso.

13 comentários:

Henrique disse...

Gostei do Blog Vitão, muito bem redigido os textos
Abraços
Henrique

Victor Oliveira disse...

Opa Henrique...

Valeu cara... que bom que gostou... aparece mais por aqui....hehehe...

valeu!

Lila disse...

Realmente...o convívio social pacífico não existiria sem a mentira. Muitos, sob ó pretexto de "serem autênticos" e de "sempre falar a verdade" acabam sendo extremamente rudes e grosseiros...e isso é mais uma das mentiras cotidianas, pois pessoas falam verdades ásperas "na lata" não por autenticidade ou sinceridade, mas pelo prazer de serem desagradáveis e se sentirem as donas da verdade. Detesto isso, e sou defensora dessas mentiras nossas de cada dia. Como vc disse, desde que bem dosadas, são imprescindíveis para o pacífico convívio social. Texto muito bem escrito o seu...parabéns! E uma ótima semana!

Victor Oliveira disse...

Olá Aline,

Muito obrigado por vc escrever aqui. Fico feliz em ver seus comentários.

Bjos

Rosa disse...

Meu irmão maravilhoso, você está me saindo um jornalista, tá querendo me roubar trabalho? Rsrsrs
O blog tá muito legal, super sério... Talvez você ainda vá nos brindar com textos leves, mesmo sobre questões espinhosas (o humor e a ironia são as melhores ferramentas pra fazer as pessoas pensarem sem que elas percebam). Talvez não. Ou, quem sabe, você possa passear por vários estilos de escrita. O importante é que seja (m) seu (s). Mas, pra saber isso, só daqui a um tempo e sem pressa de fazer esse reconhecimento, de chegar "lá" (afinal, que "lá" é esse que vivem nos vendendo, hein?). Só assim, aceitando e curtindo o processo, a gente encontra nossa "voz", nosso jeito.
Então, boa caminhada, mano. A leitura e a escrita são ótimas companhias. É um caso de amor pra vida inteira. Você vai ver.

Victor Oliveira disse...

Oi Maninha,

Obrigado pelos elogios. Pode deixar que qualquer dia desses eu tento escrever alguma coisa mais tranquila.
Bjos

sarah εïз disse...

enganar a si mesmo é uma arte...
bacana o texto :)

Victor Oliveira disse...

Olá, Sarah

Obrigado pela visita. Volte mais vezes.. se quiser propor algum tema, fique a vontade, certo?

Flavio disse...

Textos muito bons Victor.
Nem parece aquele cara que senta do meu lado nas aulas de Direito.

Absolutamente Porranenhuma! disse...

adorei o texto e concordo com absolutamente tudo o que disseste, exceto sobre o cachorro mentir.

A cachorra de estimação do meu pai é muito dissimulada, é a pomba gira fingindo ser bichano. Acredito que ela dissimule situações para me prejudicar. (risos)
Um abraço.

Vitão disse...

Olá Absolutamente Porranenhuma! ,

Que nick hein? hehehee

Obrigado pelo comentário.

Poxa, tadinho do cachorro do seu pai. Ele não está mentindo.. tá só querendo te provocar, pra vc dar mais carinho pra ele....hehehe..

Continue me "visitando" aqui, tá?

valeu!

Maria Antonia disse...

Ei Vitor! Como já disse, adorei seus textos, com opiniões embasadas por bons argumentos... o que demonstra um dom natural para a escrita e q vc não deve menosprezar. Pensa pra valer no que lhe disse sobre a possibilidade de escrever para jornais e revistas! Qualquer hr receberá um convite para ser colunista!!! Torço por vc!
Disse tb q iria comentar o texto q mais gostei...
Desde o 1o período da faculdade guardei uma citação do linguista F. Saussure pela possibilidade de relacioná-la a diversas situações no dia-a-dia das pessoas.Tá aí... cabe tb relacioná-la à mentira, que pode resultar em algo bom ou ruim... Concordo plenamente c a sua opinião a respeito.
A citação... "O ponto de vista é que cria o objeto".
Bjs e, mais uma vez, PARABÉNS!

Vitão disse...

Oi Maria Antônia,

Muito obrigado pela visita aqui e obrigadão pelos elogios....hehe.. vou acabar acreditando nisso...

Tendo escrever coisas que penso, não sei se é um talento como vc disse, mas é uma coisa que me dá prazer com certeza. Se um dia algum veículo de comunicação animar de me chamar, vai ser bom, já que vou unir o útil ao agradável.. (se bem que escrever com prazo certo nem sempre é prazeroso e nem sempre sai coisa boa...)..

Enfim... continue visitando aí.. qualquer hora eu escrevo mais coisa... já vi que os textos que tratam de comportamento das pessoas fazem mais sucesso...heheh...

Bjos