Algumas considerações iniciais

Tentarei manter uma regularidade nas postagens, mas não combinarei prazos. Por ser uma das válvulas de escapes utilizadas por mim, deixarei que este blog seja alimentado de acordo com a inspiração, e não com o calendário.

Gosto dos comentários. Não são, para mim, apenas um sinal de popularidade, como a maioria dos blogs que vejo. Eles têm um significado maior, que é o de saber como as pessoas que aqui estão pensam sobre os assuntos que comento. Portanto, fique à vontade para escrever. Na medida do possível, responderei a cada um deles.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

NUNCA, JAMAIS





As lágrimas não foram em vão,
na partida, na reconciliação,
na certeza, na omissão.
A memória não se apaga mais,
nunca, nunca, jamais.

A voz está presente.
O cheiro insiste em permanecer.
Na pele o toque latente,
faz suar, estremecer.

O tempo corre sem pressa
com as voltas que o mundo dá.
A mente sempre imersa,
tentando te tirar de lá.

E a vida segue imutável,
cada um com seu cada qual,
sustentando o que é instável,
fingindo estar tudo normal.

Pensar que tudo acabou,
que tudo ficou para trás.
Achar que a vida mudou,
e em busca um pouco de paz,
esquecer que foi  forte, intenso,
nunca, nunca, jamais. 

2 comentários:

Mulher na Polícia disse...

Un coraçón partido?

: )

Vitão disse...

Já foi, pode estar sendo, ou será...vá saber, não é?