Algumas considerações iniciais

Tentarei manter uma regularidade nas postagens, mas não combinarei prazos. Por ser uma das válvulas de escapes utilizadas por mim, deixarei que este blog seja alimentado de acordo com a inspiração, e não com o calendário.

Gosto dos comentários. Não são, para mim, apenas um sinal de popularidade, como a maioria dos blogs que vejo. Eles têm um significado maior, que é o de saber como as pessoas que aqui estão pensam sobre os assuntos que comento. Portanto, fique à vontade para escrever. Na medida do possível, responderei a cada um deles.

domingo, 21 de outubro de 2012

MUDANÇAS




Hoje gosto de azul. Ontem era vermelho e amanhã poderá ser verde. Qual o sentido de se manter estanque uma opinião a todo tempo, a todo custo? Hoje penso melhor ser assim, amanhã pode ser que me arrependa amargamente, mas não tanto quanto se não tivesse experimentado aquela situação, aquela oportunidade.

Quanto mais conhecemos as coisas, mais sofremos com as escolhas. Quem pouco pode escolher não amarga essa indecisão, acostuma-se com aquilo, vai tocando a vida do jeito que dá, não para para (é, essa mudança ortográfica de vez em quando cria essa coisa feia!) pensar nas oportunidades que está perdendo, nas coisas que nunca vai vivenciar, no tempo que está sendo perdido.

As pessoas muitas vezes se chocam com as opções que a gente toma, critica, quer mostrar argumentos que não conhece. Como alguém pode aconselhar algo se não está vivendo exatamente aquela situação? É complicado, a gente pode ter ideia do que se passa, mas nunca saberemos ao certo o que a pessoa está sentindo, o que estão fazendo com ela, por que ela não está feliz em um lugar que, aparentemente, todos estariam felizes.

Quer mudar? Mude e pronto! Independente do que falarão, das críticas, dos comentários maliciosos, mude e ponto final. Assuma esse ônus, que sempre tem, e os outros também, mas mude! Prepare-se, estude, trabalhe, se esforce, para que a mudança acontece plenamente e você não tenha que depender de ninguém para efetivá-la, ou mesmo ter que implorar apoio para voltar atrás. Caso não dê certo, arrume outra opção e corra atrás dela com afinco. Não fique com a dolorosa sensação de que poderia ter sido diferente, de que poderia ter sido feliz de outra forma. 

É isso. 

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns Vitor fiz um reflexão muito boa sobre o tema... e esse aprendizado com certeza será indispensável e muito positivo pra minha vida! Abraços Bárbara

Vitão disse...

Oi Bárbara!

Que bom que gostou do texto! Acho muito bacana quando essas poucas palavras conseguem atingir o coração das pessoas. Volte sempre por aqui, seja muito bem vinda!

Abraços, inté!