Algumas considerações iniciais

Tentarei manter uma regularidade nas postagens, mas não combinarei prazos. Por ser uma das válvulas de escapes utilizadas por mim, deixarei que este blog seja alimentado de acordo com a inspiração, e não com o calendário.

Gosto dos comentários. Não são, para mim, apenas um sinal de popularidade, como a maioria dos blogs que vejo. Eles têm um significado maior, que é o de saber como as pessoas que aqui estão pensam sobre os assuntos que comento. Portanto, fique à vontade para escrever. Na medida do possível, responderei a cada um deles.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

GRAVITACIONAL



Em algum momento, caro amigo, já analisou quais pessoas fizeram parte da sua vida ou que ainda fazem? Consegue encaixar esse grupo de pessoas, ou pelo menos grande parte dele, em um perfil bem definido? É bem provável que sim, ou seja, que as pessoas que passam ou que ficam em sua vida possuem traços de personalidades bem semelhantes. Sim, você vai espernear agora, falando que fulano é de um jeito e beltrano é completamente diferente, e que ambos fazem parte do seu círculo social. Mas pense bem, analise friamente. Será mesmo que são tão diferentes assim? Será que, lá no fundo, você não consegue traçar a mesma linha para os dois?

Vejo pessoas, principalmente mulheres, reclamando que só atraem caras ruins, pessoas problemáticas, ao passo que outros conhecidos não passam por este tipo de situação. E aí, será que há alguma explicação? Será que podemos atribuir somente à sorte ou ao azar? Acredito que não. Penso que atraímos e, principalmente, conquistamos, aquilo que somos. Nem mais, nem menos. Ficam em nossas vidas aquelas pessoas que mais se parecem conosco.

Desta forma, é complicado atribuir sempre ao outro a culpa pelos fracassos dos relacionamentos. Não dá para sempre achar que os outros estão sempre errados, se no fundo, somos iguais, pensamos de forma semelhante, faríamos o mesmo se pudéssemos trocar de lugar.

Ficamos ali, indagando os motivos de tanto sofrimento, de tanta decepção. Mas não nos questionamos qual a energia que emitimos, quais tipos de sinais passamos ao conhecermos alguém. Com atitudes, vocabulários, gestos, entre outros sinais, passamos a mensagem sobre nós mesmos, mostramos quem somos e, caso haja alguma semelhança, a outra pessoa permanece, quer seja para desvendar essas mensagens, quer seja para compartilhá-las. E aí, caro amigo, não reclame tanto se esta pessoa não agradar. Ela reflete um tanto de você!

Atente-se para o que emite. Atente-se para quem está ao seu redor. É exatamente esse grupo que quer para si? Caso não, repense a forma de agir, de iniciar uma relação, de se portar diante de pessoas que ainda não conhece. Aí pode estar a chave de se conquistar pessoas melhores, pessoas com boas energias, enfim, pessoas que vão nos fazer bem, assim como, com nossa mudança, também faremos bem a elas e às outras que aparecerão.

É isso. 

2 comentários:

Passarinho disse...

nós, humanos, somos energia, na verdade, e podemos vibrar dessa ou daquela maneira. e cada um atrai aquilo que vibra, fato! a história vai sendo composta e somos, sim, responsáveis pelo que cativamos - seja isto bom ou ruim.
lindos textos, caiu no meu gosto assim, sem mais!
:)

Vitão disse...

Olá Passarinho!

Muito obrigado pelo comentário. É isso mesmo, cada um atrai a energia que vibra. O que me estranha é gente reclamando que só atrai coisa ruim, não percebendo que está sempre vibrando naquela mesma sintonia.

Volte sempre!