Algumas considerações iniciais

Tentarei manter uma regularidade nas postagens, mas não combinarei prazos. Por ser uma das válvulas de escapes utilizadas por mim, deixarei que este blog seja alimentado de acordo com a inspiração, e não com o calendário.

Gosto dos comentários. Não são, para mim, apenas um sinal de popularidade, como a maioria dos blogs que vejo. Eles têm um significado maior, que é o de saber como as pessoas que aqui estão pensam sobre os assuntos que comento. Portanto, fique à vontade para escrever. Na medida do possível, responderei a cada um deles.

sábado, 1 de novembro de 2008

Reviravoltas

Época de aniversário é momento em que refletimos sobre nossa vida, remoemos o passado em busca de respostas para coisas que não andam bem. Mas também é momento de focar nossa visão à frente, buscando sempre perspectivas de melhoras. A chegada da nova idade mexe com nossa cabeça, nos faz pensar diferente do dia-a-dia.

Talvez este texto assuma um tom de desabafo. Ficar longe de casa, das pessoas queridas, faz com que este seja a válvula de escape. Mas, diferente dos outros textos, já que o momento também é diferente, este desabafo aqui não assumirá nenhum traço de melancolia. Ao contrário, será a fotografia do momento feliz que passo.

Passei o aniversário sozinho. Nem mesmo os novos colegas que fiz ficaram sabendo. Não gosto de sair divulgando e, caso fiquem sabendo, legal, não me incomoda receber parabéns. Se estivesse vivendo um outro momento, com certeza seria doloroso passar uma data assim só. Mas não foi. A realidade que me cerca faz com que qualquer nuvem carregada de tristeza se transforme em respingos ao me atingir.

É extremamente gratificante fazer aquilo que você gosta, que você batalhou para conquistar. Não existe tarefa chata, mas sim tarefa que é realizada pela pessoa errada, talvez em um momento errado. Se todos pudessem fazer o que dá prazer, as coisas seriam mais tranqüilas. Todos nos nascemos com aptidões para determinados setores, mas somente a minoria consegue o encaixe perfeito entre este dom e seu ofício. É uma luta cruel, mas é preciso forças. Seu momento agora pode não estar agradável, você pode ir para o trabalho sem motivação alguma, mas tenha em mente que isso é temporário e que, se você realmente quiser mudar sua vida, você consegue.

Mudar quando está ruim é necessário. Somente reclamar, sem tomar nenhuma atitude, não resolve absolutamente nada. Quantos exemplos de amigos que querem passar em concursos públicos, mas chegam do trabalho e sentem em frente à TV, vão beber, enfim, fazer tudo menos estudar? É difícil, é desgastante, diversas vezes pensamos em desistir, em largar tudo e esperar para ver o que acontece. E aí a bola de neve não pára de crescer. Vamos reclamar mais ainda, aumentar o desgosto de ir trabalhar, viraremos uns chatos, descontando até mesmo em pessoas próximas a nós as nossas angústias.

Então, caros amigos, a dica é essa. Passei um bom tempo em busca de soluções para minha vida. Demorou sim, sei que perdi chance de diminuir este tempo já que em muitas situações fui displicente, deixei de fazer uma obrigação para poder apenas matar o tempo. Claro que ainda não tem nada resolvido, que as coisas não estão do jeito que eu quero, mas uma boa parte do caminho já foi feita. O que você quiser fazer você consegue. Basta que você se empenhe para isso. Veja-se fazendo aquilo que te dá prazer, pense como se estivesse na carreira, vivenciando as situações.

Acho que este texto fugiu um pouco dos padrões dos outros. Uma amiga disse-me que sofro do mal do escritor depressivo, que só consegue escrever coisas razoáveis quando passa por momentos ruins. De fato, as idéias aparecem mesmo nestes momentos. Mas entre vivenciar um momento feliz e escrever textos ruins ou ficar triste para escrever melhor, fico com a primeira opção. Perdoem-me, meus amigos, mas pensem que o desprazer de ler algo ruim é compensado pela felicidade do amigo que vos fala. É uma troca justa?


É isso.

6 comentários:

Maria Antonia disse...

Ei Victor,
Primeiramente, quero deixar aqui registrado os meus sinceros PARABÉNS a você - mais uma vez pelo niver e pelo sucesso na carreira, e também por mais um texto de ótima qualidade, sim!
Você pode até sofrer do mal do escritor depressivo, e eu posso estar sofrendo do mal da leitora depressiva rsrsrs, mas, sem dúvida, você escreve coisas que nos fazem refletir sobre como costumamos agir diante das dificuldades; e o que é melhor, ao final dos textos, tenho sempre pensamentos positivos em relação às situações presentes na minha vida.
O que sua amiga define ser "coisas razoáveis", eu retifico: são coisas simples... E aí está a chave do seu sucesso... nos textos (e nos efeitos que eles provocam no leitor - ainda que seja uma crítica),na carreira, e, certamente, na vida pessoal.
Continue sendo esse cara que, mesmo diante do sucesso não se deslumbrou, e que a simplicidade transborde sempre... em seus textos, na sua carreira, enfim, na sua vida.
Amigo, não há nada a perdoar... A felicidade é recíproca, viu?! É sempre um prazer ler seus textos, e só demorei um pouco mais pra comentar porque tenho andado muito ocupada... trabalhando e estudando!!! rsrsrs
Bjsssssss

Vitão disse...

Oi Maria Antônia,

Muito obrigado por suas palavras. Fico muito feliz quando leio algum comentário seu. Realmente esse blog aqui é um retrato de meus altos e baixos, que são refletidos nas coisas que escrevo.

Fico motivado a escrever mais quando leio algo do tipo deste seu comentário. Muitas pessoas já me falaram que lêem meus textos, mas poucas deixam comentários falando sobre eles. Por isso que vc é minha leitora preferida!!!!

bjos

MARCELO BAETA MIRANDA disse...

Grande Vitor,

Meus parabéns atrasados. Na verdade também fiz aniversário dois dias antes de você, num situação similar. Pensei em reunir um montão de 'amigos" e fazer um churrasco, com muita música e gente dançando, se divertindo. Estava disposto a té a gastar uma "merreca". Mas aí, no dia, preferi almoçar com meu filho e a mãe dele de dia numa churrascaria cara, tipo Porcão e à noite saí com minha mulher pra jantar e ficar mais a vontade. Me senti bem, apesar de tudo. Estopu vivendo uma fase muito madura e de reflexões sensatas. Quem sabe o ano que vem não faço a tal bagunça? Um abraço e muito sucesso nessa etapa importante da tua trajetória!

Vitão disse...

Grande Marcelo....

Pois é, as vezes a gente precisa fazer escolhas nas nossas vidas... desta vez em abri mão da comemoração de um aniversário em prol de uma causa maior... e na carreira que a gente escolheu tem muito disso, muitas vezes teremos que abrir mão do que a gente gosta para poder ajudar a um desconhecido que precisa de um auxílio que só a gente pode dar...

Bom, já que a gente faz aniversario quase junto, qualquer ano desses ai a gente comemora junto, marca uma ceverjada com os parceiros..

valeu!

Paula Rocha disse...

Ola Victor, não poderia deixar de passar por este cantinho, meu perfeito oq vc escreve!!!!Realmente ,conseguimos tudo o que queremos, se tivermos um minimo de força de vontade! e acreditar em nós mesmos!!!BJS e continue assim, escrevendo melhor a cada dia ... Paula Rocha!!!!

Vitão disse...

Olá Paula,

Obrigado pelos elogios. Espero que você passe mais por aqui, lendo as coisas que escrevo. É como eu disse, não sou escritor, mas gosto de expôr sentimentos que são comuns a muitas pessoas...

A propósito, vc é de onde? Como ficou sabendo do blog?

Abraços!